Bebe Rexha concede entrevista ao programa canadense CP24 Breakfast

Bebe Rexha concede entrevista ao programa canadense CP24 Breakfast

Hoje, 18, Bebe Rexha concedeu uma entrevista ao programa canadense CP24 Breakfast e falou sobre suas inspirações para o álbum, sobre Nicki Minaj e sobre o motivo do álbum chamar “All Your Fault”.

Bebe Rexha foi entrevistada por Jackie Crandles e você pode conferir a entrevista e a transcrição da mesma abaixo:


Sobre a inspiração por trás do “All Your Fault”


“Eu estou na indústria musica há 10 anos, comecei muito jovem e sendo uma mulher jovem na indústria musical, eu tive que me virar, me apaixonei e aprendi sobre a vida. Sou de Nova York, da costa oeste. Eu me mudei para a Califórnia e aprendi muitas coisas em um curto período de tempo, tive meu coração partido.

O álbum é sobre um ex-namorado que terminou comigo por mensagem de texto. Eu estava fazendo um show de abertura para Nick Jonas, era minha primeira apresentação muito grande e ele terminou comigo por mensagem de texto, isso tem um ano e meio. Ele nem me ligou, só desapareceu da minha vida, então, eu chamei o álbum de “All Your Fault” (A culpa é sua/Tudo é culpa sua).

Depois, o álbum teve uma mudança muito legal, eu pensei que talvez teria sido minha culpa por ter deixado esse cara fazer com que eu me sentisse daquele jeito, ser vítima dele, então o álbum passou a ser mais forte, com o poder feminino.”

Bebe Rexha fala sobre o “All Your Fault” durante entrevista para CP24 Breakfast

Sobre suas maiores lições e a pessoa que ela considera sua mentora


“Acho que trabalhar com Nicki Minaj foi uma experiência incrível, ela também é uma mulher na indústria musical e ela diz uma coisa, que as mulheres sempre sabem o que elas querem, considerando o que acontece com elas na indústria musical. Com os caras é diferente, eles são os “patrões” e ela me ensinou a sempre seguir o meu objetivo, mas com cuidado e ser flexível.

A coisa mais importante pra mim é a minha reputação, eu cresci em uma família cheia de valores e morais, meus pais são da Europa, da Armênia, então eu tive que “dar um jeito” na indústria musical. Tem muitas pessoas que são politizadas e fazem muitas coisas doidas. Para manter os meus valores eu precisei entrar pela porta de trás e tentar.”

Sobre seu primeiro concurso de composições


“Foi uma competição do Grammy, eles fazem uma coisa maravilhosa chamada “Grammy Career Day”, é só para crianças. Eu estava no ensino médio e fui com uma música, tinha umas 700 inscrições. Eu fui selecionada e eu conheci Chris Brown aquele dia, antes mesmo dele ser conhecido, foi uma experiência incrível, então eu pensei: “talvez eu possa fazer isso.””



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *